domingo, 28 de julho de 2013

Braço

Google - sem informação de autoria
Para Manuela Santo


você me pergunta 
se há outro corpo d’água

não, não ali
não para aquele braço
há esses rios que secam
mas não entendo de rios e mapas

repara, repara que lindas as pedras
elas resistem como se decantadas

5 comentários:

Manuela disse...

A água que molha também amolece. Por isso prefiro essas pedras desencantadas que sobrevivem ao caos. Sou dessas coisas que permanecem.
Obrigada por reparar tão bem no que não digo, sempre.

Surpresa linda. Te adoro, amo.

Germano Xavier disse...

Metáfora linda a do verso final.

Jota Effe Esse disse...

Há rios que secam e seu leito é de pedras, e rios que secam e seu leito é de areias. Gosto mais destes. É bom dormir na areia do rio em noite de luar. Meu beijo.

pazanarquia disse...

belos versos, visite meu blog: http://pazanarquia.blogspot.com/

Fred Caju disse...

A Manuela Santos se deu bem ó!

Postar um comentário