segunda-feira, 25 de março de 2013

A casa

Arquivo pessoal de Daniela Delias

há uma orquídea em minha porta
móveis que arrasto em dias de chuva
céus que desabam entre tenras paredes
porque são largas, são largas as fissuras

você entrou e não viu o mar, ouviu
e dissemos: é bruto o amor
corta, arranha, dilacera

coisas e palavras
cobrem de farpas e flores
um mesmo chão

mas você não viu o mar, ouviu
foi quando pus os meus pés sobre os seus
e dançamos à margem do dia

quarta-feira, 13 de março de 2013

Disparo

Imagem: V. Camargo Junior


ele gosta do branco e do preto
das tintas que expõem como um corte
a desordem das paredes

fere sua lente, explode
recolhe rastros, recria corpos
rio grande goza em seus dedos
a febre de um céu disforme

ele gosta do branco e do preto
da poesia derramando silêncios
entre frestas e fios expostos