sexta-feira, 17 de maio de 2013

A linha

Imagem: Daniela Delias - Arquivo Pessoal

a outra no espelho
vive come limpa veste
não sangra, costura

pensa na reta que liga
o olho à linha
na linha que espera
o buraco da agulha

do alto de seu deserto
cantaria a um deus
se falasse a sua língua

terça-feira, 14 de maio de 2013

Lanterna

Maísa - Arquivo pessoal de Daniela Delias

ela pede a lanterna do pai
para ver estrelas cadentes

a poesia não está nos livros
na palavra que corta e sangra
no silêncio que des/espera

talvez no quintal de Maísa
talvez na vida ali adiante

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Taças

Google - sem informação de autoria

já volto, vou me inexistir.
no peito, aquela coisa de moer cana.

Nina Rizzi 



no décimo gole da segunda taça
estava o ponto em que desaparecíamos
eu, você, o cheiro do papel de pão

do gosto do gozo imenso, incompreensível
às bocas e risos, à calma, ao filho

depois do décimo gole da segunda taça
tudo ali inexistindo

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Vidro

Google - sem informação de autoria


não há cercas nem cárceres
chaves escondidas sob a pedra
fios disfarçados pelos canos

das flores secas sobre a mesa
às marcas dos antigos passos
tudo se vê, transparece

aqui, verdades ferem como ternuras
quando atravessam as paredes de vidro
e irrompem à luz do dia