domingo, 29 de setembro de 2013

Abismos

Google - sem informação de autoria


os olhos estão fechados
mas avistamos o abismo

as dores mesmas
ainda que belas
estendem-se em fúria

e são como pétalas
e são como bombas
que caíssem
de um céu em chamas


sábado, 28 de setembro de 2013

Cais II

Google - sem informação de autoria

a mão despe o peso
cobre o colo, a nuca
caminha outro braço

ela diz que há um cais
em seus ombros

ele molha a boca
o lábio, a sede

e oferece
a única face


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

A queda

Google - sem informação de autoria

o que em mim vive
- e mata
fere como pétala

e queda entre silêncios
à sombra do teu corpo

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Espelhos

Arquivo pessoal de Daniela Delias
Quando olho um rio,
rio inteiro olha

híbrido,
transcendo-me

Vasco Cavalcante




meu olho inteiro te olha
e é a mim que vejo 
turva, lânguida, cálida

à margem do rio
contra o branco das pedras
já não quebro espelhos


sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Madeira

Google - sem informação de autoria

há rumores de que o tempo
devastou paredes e cercas

que a película da noite
não esconde a palidez
das roupas e dos fios

há rumores de que as vidraças
não contêm os motores
tampouco os silêncios

que a madeira cansada
contrai, range, geme
estende aflita os seus nós

há rumores de que os pés
não pesam mais que as partidas