terça-feira, 4 de março de 2014

Descaminho




Daniela Delias - Arquivo Pessoal

sol a sol
tão só e nua
vez em quando
era só lua
e ainda assim ardia

não fossem os sapatos distraídos
saberia de cor a cor do caminho

mas quando ela ia e vinha
um pé seguia o outro
quase por princípio

sol a sol
vez em quando lua
a carne fica mais viva


(Descaminho é um poema do livro "Boneca Russa em Casa de Silêncios - Editora Patuá/2012. Volto um tantinho a ele neste 04/03, por conta de meu aniversário).

7 comentários:

Aline Gouveia disse...

Adoro seus poemas. São breves como o vento, que apesar curto e ligeiro, deixa em nós marcas permanentes.
E esse se encaixa perfeitamente no tempo.

Parabéns!

Anna Apolinário disse...

Muito bom! abraços

Karine Tavares disse...

Parabéns!

feitaparailetrados.blogspot.com

BIH Murer! disse...

temos paixões em comum. adorei esse cantinho e suas palavras!

Wagner Passos disse...

E se tocasse o pé direito direto no chão
Queimava
Ardia...
Não era grama, nem ondas no mar...
Eram pedras, quentes
No caminho de rochas frias.

Germano Xavier disse...

É quando tudo se inflama.

diego guerra disse...

oii Daniela parabéns lindos teus poemas e lindo teu blog

Postar um comentário