domingo, 6 de julho de 2014

Alçapão

Google - sem informação de autoria


o homem desce agora
à casa de um deus torto

seus ossos quebram os átomos
seus pés lambem o escuro

lá vai o homem
a caminho da casa
do deus subterrâneo

- asa, ele diz, é armadilha.

1 comentários:

Germano Viana Xavier disse...

Altas doses de mistério no poema.

Postar um comentário