domingo, 30 de novembro de 2014

Agulhas



Imagem: Amelia Delias de Sousa


Para Amelia Delias de Sousa

nos dedos de minha mãe
é que as horas desdobravam 
os silêncios mais sentidos

não que eu quisesse cantar
porque nos dedos de minha mãe
eu também ia e vinha

basta agora uma canção amarrotada
ou um suave e metálico tilintar de agulhas
e eu alimento os relógios antigos


2 comentários:

Germano Viana Xavier disse...

Cosimentos de mãe refazendo o tempo que fica. Eu também guardo as costuras de mainha. O mel, por exemplo, é um elemento que me faz relembrar. Um salve para Delias-mãe!

Amélia Delias disse...

Linda homenagem.

Postar um comentário