domingo, 30 de novembro de 2014

Agulhas



Imagem: Amelia Delias de Sousa


Para Amelia Delias de Sousa

nos dedos de minha mãe
é que as horas desdobravam 
os silêncios mais sentidos

não que eu quisesse cantar
porque nos dedos de minha mãe
eu também ia e vinha

basta agora uma canção amarrotada
ou um suave e metálico tilintar de agulhas
e eu alimento os relógios antigos


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Navios

Google - sem informação de autoria


dizíamos ossos e pedras
navios de cascos alquebrados
e olhávamos de dentro do nada
com uma clareza furiosa

dizíamos de tal modo que a palavra
parecia a dor verdadeiramente dita

e não porque leve, suaviloquente
o amor deu de nomear as coisas

domingo, 16 de novembro de 2014

Polaroides, uma leitura





gostava de imaginar seus olhos
atravessados pelos meus

seus olhos de engolir mundos
devorados pela precisão
das pequenas coisas:

cartas, polaroides, instantes
a solidão dos livros na estante
um haicai de Bashô


domingo, 2 de novembro de 2014

Ninfas


Google - sem informação de autoria

temos o oco das bocas
duramos além do gesto

quem dera perto das águas
saber o que sabem as ninfas 
aqueles pequenos insetos
que nascem e dançam e morrem 

sem ter visto a noite