domingo, 31 de maio de 2015

Onda

Google - sem informação de autoria


à pedra não pese a palavra
a duração do silêncio
do chumbo, do polietileno

à pedra não pese a lembrança
o passo estridente da noite
o andar abatido dos vivos
o corpo, o fogo, a rosa

há coisas que movem em ondas:
som sol sismo serpente

como dizer amor
sem pesar seu nome?

1 comentários:

Germano Viana Xavier disse...

Deixa-nos as palavras, a poeta, como Pablo Neruda a dizer dos desbravadores d'além-mar que em Américas estiveram, que furtaram tudo, mas que também deixaram tudo aqui, em terras nossas: "Deixaram-nos as palavras"... portanto, por tanto, obrigado por suas "deixas", Daniela!

Postar um comentário