quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Vidraça

Google - sem informação de autoria


há os que se ocupam 
em apagar vestígios
de lâminas invisíveis
eu, manhã sem sombra
só faço lavar meus olhos
e ver que o calcário, irmão
ainda habita a vidraça
por onde víamos o mundo

1 comentários:

Germano Viana Xavier disse...

O que filtra, o elemento dos olhos, o mineral que abrilhanta a realidade, a memória enquanto saudação para o além.

Sempre um poema belíssimo aqui.

Postar um comentário