sexta-feira, 8 de abril de 2016

Palimpsesto

Google- sem informação de autoria


o que permanece
sobe e desce escadas
cora e trança cabelos
ressente-se das horas
assenhora-se dos pássaros

escrevo sobre as folhas
de um abril adormecido
escrevo sobre as cinzas 
de uma cidade soterrada
escrevo sobre você
homem de outro tempo

(ruínas não ocultam 
imaterialidades)


2 comentários:

Germano Viana Xavier disse...

Escreve, a poetisa mais linda, para inaugurar o homem de todos os tempos.

Cláudio disse...

Entre letras escuras, novas letras podem nascer de rasuras. Descobrindo e apreciando teus textos, Daniela. :-)

Postar um comentário