quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Roteiro


Google - sem informação de autoria



armar as palavras não ditas 
com o metal de nossos sonhos

beijá-las vertiginosamente
antes que nasçam
antes que quebrem
antes que partam

não dizer que uma língua que cala 
é uma língua que sangra

escrever um poema de amor 
que por não saber 
o diga


1 comentários:

Germano Viana Xavier disse...

Delias, que poema!
Que poema!
Este está digno de loas universais!

Entrou para a minha lista dos seus melhores, Delias.

Postar um comentário