sábado, 21 de julho de 2018

Quarto


ele acorda
em uma cidade
que não é sua

do outro lado da vidraça
imensas colunas de concreto
devolvem centenas de janelas
por onde vê
um pequeno sol
entre as colinas

as coisas são o que são
e é certo que o compreendem

nós, que não somos
não sabemos
que agora
por exemplo
ele se ocupa
de soprar a vidraça
e de mantê-la
entre os lábios
e o ar frio que respira
(é quando escreve
repetidas vezes
o nome que o tem)

a cidade acorda
em um homem
que não é seu

0 comentários:

Postar um comentário